A tragédia em Brumadinho e a importância da Engenharia Ambiental

Foto por: Andre Penner/AP Images

Nesta semana, no dia 31, quase uma semana após o rompimento da barragem de rejeitos do Córrego do Feijão, da empresa Vale, celebra-se o Dia do Engenheiro Ambiental. Uma data como esta nos leva a refletir a importância da atuação dos engenheiros ambientais nas empresas e em grandes empreendimentos como a barragem em Brumadinho.

O impacto ambiental da tragédia

As barragens são estruturas construídas principalmente para retenção de água em zonas residenciais, industriais, agrícolas e na produção de energia elétrica. Barragens de rejeitos, como a de Brumadinho, servem para evitar que as substâncias químicas provenientes dos processos de beneficiamento de minério invadam os mananciais.

Um rompimento de barragem de tamanho impacto como o que ocorreu em Brumadinho é causado pela negligência dos envolvidos somada ao sistema de drenagem frágil e falho, e é por isso que a competência técnica da fiscalização e da engenharia deve ser impecável, e que a escolha da localização e da construção da barragem sigam fielmente as normas ambientais.

Quando o planejamento de uma barragem é feito visando a economia e não a preservação da ambiental, acidentes previsivelmente ocorrem. No caso de Brumadinho, a construção era feita acima da comunidade humana, bem como de uma vasta fauna, flora e região aquática. Os 13 milhões de m³ de lama decorrente do desmanche da barragem da Vale assolaram todo o centro administrativo da Vale e chegaram ao rio Paraopeba, uma importante fonte de abastecimento público que, agora, está contaminada pelos rejeitos do minério de ferro, que diminuem a quantidade de oxigênio disponível nos recursos hídricos e arruínam com toda fauna e flora aquática da região.

De acordo com as últimas atualizações, já são mais de 60 pessoas mortas e cerca de 300 desaparecidas. Além da vida dos humanos, muitos animais também foram mortos. A estimativa é de que os animais aquáticos sejam os mais assolados, conforme a lama continue a percorrer a Serra dos Dois Irmãos. Os impactos, segundo o Ibama, também são de poluição hídrica com possibilidade de interrupção no abastecimento de água, contaminação do solo e emissão materiais que atingem a biodiversidade, acarretando a área urbana ou rural a tornar-se imprópria para habitação humana.

Vista aérea do rompimento da barragem da mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG) – 26/01/2019 (Andre Penner/AP Images)

A importância do engenheiro ambiental

O engenheiro ambiental tem papel fundamental na preservação dos recursos naturais e na proteção da saúde humana. É ele o responsável pela avaliação e controle da poluição do solo, do ar e da água, bem como a prevenção e redução dos danos causados ao meio ambiente pelas atividades humanas. Como grande parte das atividades humanas (principalmente as econômicas) causam impacto no meio ambiente, o olhar do engenheiro para a sustentabilidade e para o  desenvolvimento ambiental é o elemento indispensável em seus trabalhos e atividades.

O desastre ambiental em Brumadinho é lamentável, mas nos faz repensar como é importante um serviço e uma consultoria de engenharia séria e eficaz. O trabalho do engenheiro não fica restrito apenas ao projeto inicial de uma construção, mas sim em todo o acompanhamento, vistoria e inspeção do ambiente do trabalho em questão, pois seu objetivo é exatamente evitar tragédias de impactos nocivos ao meio ambiente.

Para empreendimentos como barragens, deve-se elaborar um Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e para que haja uma licença ambiental. Além disso, deve ser feito um estudo do impacto na socioeconomia e no ecossistema, bem como análises de risco rigorosas para que não ocorra nenhum acidente.

O momento agora é para valorizar as questões ambientais e entender a o valor do engenheiro na hora de apurar as questões técnicas para que providências seguras sejam sempre tomadas e desastres como este não mais ocorram. No caso de Brumadinho, o engenheiro ambiental é o profissional apto para desenvolver e executar os projetos de recuperação do ambiente. E mais: a manutenção deve ser contínua, pois barragens de rejeitos precisam de atenção integral e manutenção permanente, tendo em vista que são construídas em paralelo a operação.

CONTATO